segunda-feira, 12 de maio de 2008

Estônia cria imposto para 'pum' das vacas

Sexta-feira, 09 de Maio de 2008 15:17
Redação Terra

Autoridades da Estônia, na Europa, criaram uma taxa para a flatulência das vacas, que deve ser paga pelos fazendeiros. A medida serviria para compensar a emissão de metano gerada pelos gases dos animais, segundo o diário online Ananova.

Os pecuaristas começaram a receber nesta semana as primeiras cobranças do "imposto do 'pum'". Uma única vaca é capaz de gerar 350 l de metano e 1,5 mil l de dióxido de carbono por dia através das flatulências.

Segundo as autoridades, a pecuária é responsável por 25 % da emissão do gás no país. A oposição é contra a cobrança e alega que a taxa "não tem precedentes em nenhum país da União Européia" - afirma Jaanus Marrandi, do partido União do Povo.

Fonte: Maracaju News.

***

E o brasileiro não tá nem aqui que haja mais boi que humanos na Amazônia. Cobrar taxas pelos danos ambientais da pecuária no Brasil? Pra quê? O Brasil tem água e ar puro pra dar [importar] pra Europa a preço de carne!


Veja também:
Charge sobre pum das vacas no aquecimento global
10 principais argumentos ecológicos vegetarianos
Cartazes informativos sobre alimentação e flatulência

***

UPDATE: complemento com uma matéria do Lobo Repórter:

O problema do bem-estarismo

"Governos, corporações e outros estão buscando tecnologias mais inteligentes para neutralizar os impactos negativos da produção intensiva de animais em fazendas. Existe essa idéia, essa esperança, que um número de mais de seis bilhões de pessoas, devorando quantidades enormes de produtos animais, possa de alguma forma ser compatível com uma agricultura animal 'humana, sustentável'. Eu acho que essa idéia é falsa, e que se uma solução vegana para nosso problema ambiental e de bem estar animal parece impossivelmente idealista, o abandono de práticas industriais de produção envolvendo animais para abastecer bilhões de onívoros é ainda mais impossivelmente idealista.

"O problema não é apenas a produção industrial, o agronegócio. O problema é a produção envolvendo animais, a qual sempre é industrial porque centenas, milhares de animais em uma única locação comercial = industrial. Não se engane: mesmo padrões melhorados de bem-estar para galinhas, perus e outros animais de produção são muito mais baixos do que os padrões que a maioria das pessoas consideraria aceitável para animais de comparável sensciência e inteligência, tais como um cachorro, um papagaio ou um gato. O 'bem estar' do animal de produção nunca irá atender as necessidades complexas dos animais envolvidos ...

"Uma dieta vegana não é apenas uma oportunidade de criar um mundo menos violento e tóxico, mas uma escolha inteligente de segurança de comida que não depende de governo. Uma dieta vegana não sacrificaria empregos ou arruinaria a economia. Enquanto existir pessoas, a mesma quantidade de comida terá que ser produzida e vendida."

Trecho de carta escrita por Karen Davis, presidente da United Poultry Concerns, e publicada pelo jornal inglês Independent no dia 22 Janeiro 2008.

Fonte:

Você já acessou o Lobo Repórter hoje?


A imagem “http://www.chm.bris.ac.uk/motm/methane/cow-fire.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

Nenhum comentário:

Mais campanhas ou recomendações: