domingo, 18 de janeiro de 2009

Presidente vegano... crise mundial...

O presidente da Eslovênia é vegano. Já imaginaram que impacto teria se um presidente simplesmente fosse vegetariano? Uma entrevista com ele pode ser lida, já traduzida para o português, aqui (site da EVANA). Não vou transcrevê-la - o link está aí para os interessados. O cara parece ser bem ativista.
http://www.evana.org/index.php?id=9150&lang=pt

***

Em 1° de Agosto de 2008, a vegana Nikki Benoit, durante um debate na escola Gibbs High School em Saint Petersburg, Florida perguntou a Obama (então senador e candidato a presidência) sobre o papel de um líder em relação a questões como meio-ambiente, aquecimento global, o desperdício de energia da pecuária e uma dieta baseada em vegetais. Vejam o vídeo (legendado):

Tradução livre:
Bem, esta é uma ótima pergunta. [...] Eu gosto de um bife de vez em quando. Estou sendo honesto. Eu gosto de churrasco. Não vou mentir. Mas a jovem tocou num ponto muito importante. [...]
e o que também é verdade é que à medida que países como China e Índia se tornam mais ricos eles começam a mudar seus hábitos alimentares. Eles começam a comer mais carne, mais animais.

E o que acontece então é que se usa mais grãos para produzir um quilo de carne do que se as pessoas comessem apenas os grãos, o que põe muita pressão na produção de alimentos.

Os americanos na verdade se beneficiariam com uma mudança na dieta. Eu não acho que isso seja algo que devemos legislar. Mas eu penso que é algo que, como parte de um sistema geral da saúde, nós devemos encorajar, pois, por exemplo, se nós reduzirmos a obesidade a índices que existiam em 1980, nós economizaríamos um trilhão de dólares no sistema de saúde. Nós reduziríamos os índices de diabetes, nós reduziríamos as doenças cardíacas.
[aplausos]
Então, o fato de nós subsidiarmos algumas dessas grandes operações do agrinegócio que não estão necessariamente produzindo comida saudável e de nós incentivamos ou não subsidiarmos fazendeiros que estão produzindo frutas e vegetais e pequenas propriedades rurais que conseguem produzir direto ao consumidor em vez de processar (os alimentos). O fato de que nós não estamos fazendo mais para garantir que a comida saudável esteja nas escolas. Todas essas
coisas não fazem sentido.

E eu penso que é importante para nós reexaminar a política geral de alimentos, de modo que a gente incentive bons hábitos e não maus hábitos. [...]

***

Outro dia li uma notícia entitulada "Crise econômica ameaça luta contra as doenças de origem animal". Segue um trecho da notícia:
A luta contra as doenças animais é uma questão econômica e sanitária preocupante tanto para os países ricos como para os países pobres, mas os meios de luta destes últimos correm o risco de tropeçar na crise econômica, advertiu nesta quarta-feira a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) [...] Em geral, 75% das doenças emergentes que acometem o homem têm origem animal, e algumas delas, como a febre do vale do Rift, ampliam sua difusão devido ao aquecimento climático.

Fonte: Yahoo! Notícias.

Ora bolas, uma coisa piora a outra, e, tudo bem, capitalismo sem crise não deve existir, mas viver sem vaca louca e tudo mais se resolve com vegetarianismo. P*$¨*#@%67!!! Será que é tão difícil decidir comer coisas mais saudáveis, só vegetais em vez de cultivar doenças, colesterol, gordura nas artérias e tudo mais? Carne nem é tão gostosa assim. Juro não entender como ela escraviza boa parte da humanidade.

Porque vaca louca também não é vegetarianismo.

Nenhum comentário:

Mais campanhas ou recomendações: