segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O fim dos estacionamentos e dos parques

A dinâmica das revoltas em dezembro do ano passado trouxe mais uma mania na Grécia.

Com a euforia do "verde", parques e jardins estão crescendo e se espalhando pelas cidades gregas, principalmente na capital do país, Atenas, uma das capitais com mais concreto da Europa.

Cansados de serem esquecidos pelos prefeitos, políticos e governo, a população está ocupando e construindo eles mesmos, com as próprias mãos, em autogestão, espaços verdes no lugar de estacionamentos públicos e privados para carros. Equipados com britadeiras ou picaretas, eles destroem o concreto para plantar árvores.

Um movimento que vem crescendo com a adesão de toda a população e está deixando suas marcas. Ninguém, nem a polícia, nem as autoridades parece poder ou querer acabar com o movimento.

Organizados em milícias, durante a noite, os populares patrulham os jardins revolucionários para protegê-los, e organizam “vaquinhas” para obter fundos para comprar mudas, adubo e terra.

Os tribunais gregos foram tomados de assalto por estes comitês verdes, a fim de serem reconhecidas e legitimadas suas ações, o que deixou os promotores sem reação.

Essa febre verde não parece estar perto de se acalmar, pois a cada dia novos bairros e cidades são "contaminados" por este vírus “verde”: Brilissia, Elaionas, Challandri, Exarchia, Botaniko, Patras, Tessalônica.. .

Neste sábado (4), em Tessalônica, no bairro Cidade Alta, mais um espaço cimentado sofreu uma intervenção-plantio de populares da vizinhança.

Fotos, aqui
: http://athens.indymedia.org/front.php3?lang=el&article_id=1015434

» via Indymedia Athens


Eu juro que achei que não fosse verdade.

Não duvido mais de nada.

Nenhum comentário:

Mais campanhas ou recomendações: