quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

APEGO ao ambiente

A gente é um bicho sedentário, se apega ao local onde vive. Natural.

Ai que merda, a gente se apega à paisagem, e fica triste quando destruímos ela pra construir estradas, prédios, etc.

Tudo porque o ser humano não para de se reproduzir. Em vez de ajudar o planeta e se contentar em coexistir com 6 bilhões, não, tem que ficar fazendo filho e construindo mais e mais (contruir=destruir), porque 6 bilhões parece pouco, né?

INRI CRISTO certa vez explicou que a bíblia diz que devemos nos multiplicar e povoar a terra - não os edifícios. A terra já está mais que povoada, e quem for inteligente não vai encher arranha-céus.

Ponto positivo pro Inri Cristo. Afinal, a bíblia é um livro patriarcal e machista, a mulher só serve pra dar prole ao macho-líder-da-casa que, quanto mais filhos tiver, mais status social vai ter. Inclusive, onde está escrito na bíblia que os judeus deviam se multiplicar (pra dominar o mundo - não, não foi escrito para nós), também está escrito que não tem problema algum ter várias mulheres e concubinas. A monogamia a que nós aderimos parece uma invenção pós-cristã. Nós infelizmente fomos ensinados assim, e casal que "presta" tem que ter filhos, e a mulher submissa ao homem, e diversos outros absurdos que nem ousamos questionar.

E o mundo que se foda com 7, 8 BIlhões de humanos, ou seja: 8.ooo.ooo.ooo. Cada zero desses significa: necessidade gigante de comida, casa, escola, hospital, estrada, carro, ônibus, carbono, carne, etc. - tudo para ser desperdiçado em sua maioria, vai tudo pro lixo.

Olhem a paisagem vista da minha casa olhando pro Oeste, reparem à esquerda um campo verde que foi destruído pra virar estrada, e as montanhas de Cariacica ao fundo (clique nas fotos pra ampliar, e se não abrir, aperte F5 e aguarde):

http://img704.imageshack.us/img704/8757/1002757.jpg
http://img8.imageshack.us/img8/6499/1002759h.jpg


http://img704.imageshack.us/g/1002757.jpg/
A seguir uma gravação de um arco-íris que eu fiz em 2008 no mesmo local:


Se você é capixaba e tem pelo menos 20 anos de idade, certamente chorou ao ler esse post - ou pelo menos engoliu seco.


Minha mãe viu essa terra - Cariacica/ES - sendo mata fechada, e a mata caindo, e virando casas, lojas, ruas, etc. Eu vi bem menos que isso, nesses meus 19 anos de vida, mas já sinto uma saudade que jamais será satisfeita. Não dá pra voltar no tempo. Tantas árvores frutíferas, talvez algumas centenárias, não existirão jamais. Tinha macacos e um monte de bicho que eu jamais saberia classificar. E os papagaios é claro - que o IBAMA levou de quem os domesticava para morrerem por inanição ou qualquer outro "jeitinho brasileiro".

Olhando daqui, o sol nascia nas belas praias de Vila Velha, levantava-se do mar. Agora levanta-se dos prédios. E a culpa é de todos nós, que nos reproduzimos e precisamos de consumir e consumir pra continuar vivendo em civilização. Não tem volta, mas pelo menos podemos curtir a emoção mais lusófona do mundo: a saudade.

O simples fato de nos organizarmos em cidades, civilização, já é totalmente anti-ecológico e insustentável. A cidade teoricamente surgiu pra proteger a vida, e, embora a expectativa de vida tenha aumentado, a vida perdeu o sentido dentro da cidade, tanto é que a cidade não é mais segura para a vida. Só serve mesmo pra aumentar nosso poder de abstração e alienação, e também o nosso querido sadomasoquismo.

Não existe civilização sem consumo no sentido de "pegada ecológica" e não existe recurso renovável de verdade para quem se organiza como nossa espécie, e interage com o planeta a partir da sagrada civilização. Pensem bem e me dêem razão. Mas não proponho um primitivismo, não mesmo! Se a gente apenas parasse de se reproduzir voluntariamente tudo melhoraria muito e o mundo inteiro agradeceria. Eu não me reproduzo, definitivamente - chega de desgraça no mundo! No que depender de mim nenhuma nova boca nascerá pra usar plástico, etc. Antes que chegue uma hora em que não seja possível colocar água no feijão ou pedir auxílio ao governo.

Fikdik: http://www.vhemt.org/pindex.htm


PENSE NISSO:


Consumidor bom é consumidor inexistente. Porque consumidor não é um animal na natureza, e sim um urbano humano.

2 comentários:

Rodrigo disse...

eu compartilho da sua angústia =T
e tbm não vejo sentido em "manter o nome da familia vivo"...

tHe HeAdSHakEr disse...

Você tocou em pontos nos quais, pra mim, não há mais discussão: a bíblia é um livro escrito pelo homem e, pior, o homem de mais de 2.000 anos atrás, com todas as implicações culturais e sociais disso. Engraçado é ver gente falando que acredita na Bíblia mas quando você aponta algum dos vários absurdos dela a pessoa vem com um "veja bem...". Ora, acredita ou não?
E sobre a questão da humanidade, fecho com o agente Smith, de Matrix: "Eu gostaria de te contar uma revelação que eu tive durante o meu tempo aqui. Ela me ocorreu quando eu tentei classificar sua espécie e me dei conta de que vocês não são mamíferos. Todos os mamíferos do planeta instintivamente entram em equilíbrio com o meio ambiente. Mas os humanos não. Vocês vão para uma área e se multiplicam e se multiplicam, até que todos os recursos naturais sejam consumidos. A única forma de sobreviverem é indo para uma outra área. Há um outro organismo neste planeta que segue o mesmo padrão. Você sabe qual é? Um vírus. Os seres humanos são uma doença. Um câncer neste planeta. Vocês são uma praga".

Mais campanhas ou recomendações: