domingo, 6 de fevereiro de 2011

O mito da substituição da carne

Acabei de fazer a seguinte tirinha para o blog CERSIVEG, o filho unigênito do TriviaVeg:

http://4.bp.blogspot.com/_4aduPNm0tyk/TU7bnjKJd1I/AAAAAAAABBQ/NCyHhiGMP2k/s1600/substits%25C3%25A3o.GIF



---------------------------------------------------
Tradução do garble-tiopês para português:


- Sou ovolactovegetariano
- Sua carne é o ovo
- Sou lactovegetariano
- Sua carne é o queijo
- Sou vegano
- Sua carne é a soja
- NÃO PRECISO DE CARNE!
- Ah, tá :s

---------------------------------------------------

Gente, se tem uma coisa que eu odeio mesmo é esse lance de "substituir a carne". Acho isso uma grande besteira.

1)
Primeiro que a carne simplesmente não é alimento. Carne é um pedaço de animal morto (ou vivo, dependendo da cultura). Para um vegetariano, carne não é nem nunca pode ser um alimento, seja ela peixe, frango, boi, cachorro ou carne humana. O vegetariano só vai considerar a carne como comida quando tivermos caninos salientes projetados pra fora da boca, como vampiros animais carnívoros.

2)
Segundo que culturalmente não existe substituição de carne, do ponto de vista do vegetariano.

Espera aí, os vegetarianos não ficam usando imitações de carne, fazem até churrasco vegetal, stroganoff vegetal, bife vegetal, etc?

Não. Não fazem isso porque a carne faz falta. Fazem isso normalmente pra tentar uma aproximação cultural com os que comem carne, de modo a atraí-los para experimentar mais possibilidades do mundo vegetal com uma aparência mais "comum".

Ou melhor dizendo: não fazem isso pela carne, fazem pelas pessoas que não vivem sem a carne, para promover aproximação e possíveis conversões.

Sim, existem os novatos vegetarianos que realmente pensam que artefatos de soja e talz vão substituir sua paixão pela carne - mas esse tipo de gente normalmente não dura nem 1 ano no vegetarianismo, ou às vezes come carne de peixes e outros animais escondido e ainda tem a cara de pau de dizer que é vegetariano. (Normalmente por motivação religiosa, quem considera a carne um pecado, cai nele e tenta esconder, enfim... para o vegetariano de verdade a carne não é nem sequer uma tentação).

3)
Terceiro que nutricionalmente falando não é necessário nem saudável substituir a carne. A carne tem micronutrientes e ferro e talz? Sim. Mas isso é o de menos. O que compõe a carne em sua grande maioria é proteína e gordura. Esse é o problema: excesso de proteína e excesso de gordura. É isso que o brasileiro come todos os dias.

Todos os nutrientes da carne, menos talvez a vitamina B12, podem ser facilmente obtidos por uma dieta vegetariana colorida e variada. Se você tem diversidade de vegetais na sua dieta, carne não faz falta, e você não sofre com o encosto do excesso de gordura e proteína. 

Para suportar o mito de que a carne precisa ser substituída, criam vários outros mitos como o mito da proteína (como se os aminoácidos não existissem em vegetais), o mito do ferro (como se ferro não-heme não existisse ou fosse inútil), e diversos mitos que visam chegar à seguinte falsa conclusão (e também falsa premissa): "os vegetarianos são um bando de desnutridos, e a carne é indispensável e insubstituível". Primeiro que todos sabem que os vegetarianos, em sua maioria, têm um sangue ótimo, e a maioria absoluta dos desnutridos brasileiros comem carne. Segundo que milhões de pessoas vivem anos - ou a vida toda - sem carne e são saudáveis.
ATENÇÃO: se você simplesmente tirar a carne do seu prato, é bem provável que ela faça falta nutricionalmente. Mas se você planejar uma dieta vegetariana diversificada e equilibrada, a carne nunca vai fazer falta. Não pense em trocar a carne por comidas vegetarianas indigestas e gordurosas: isso pode foder com sua saúde mais do que um bife bovino.

4)
Gastronomicamente falando a carne pode ser insubstituível. Afinal não tem como imitar o sabor exato de um pedaço de animal apodrecendo, cheio da adrenalina do abate e tudo mais. Carne é um luxo viciante, nada mais. Não é nutritiva, não é saudável. Minto, pode até ser, mas não como o brasileiro usa diariamente. Se você se importa mais com o sabor do que com todo o resto, do tipo que vive pra comer ao invés de comer para viver, você pode dizer então que a carne é insubstituível.


---------------------------------------------------

VEJA TAMBÉM:


---------------------------------------------------

Porque substituir vícios não cura vícios.
Porque substituir carne não é vegetarianismo.

8 comentários:

Paul disse...

É bom ver que existe uma ilha de sabedoria no mar da ignorância. Parabéns pela tira e pelo texto!

Elaine disse...

"...ou às vezes come carne de peixes e outros animais escondido e ainda tem a cara de pau de dizer que é vegetariano." E tem gente que faz isso?!?

Muito bom o texto, Silas... Parabéns!

Elaine disse...

Silas, precisa levar o Trivia Veg para o Twitter e para o Facebook.

Pronto, falei! ;)

Cersiveg disse...

O cersiveg, que é da mesma autoria, está no twitter apenas. É o mais próximo que podemos chegar desse desejo da Elaine.

ComTudo disse...

Ok, boa a tira, mas carne é alimento sim, é só estudar um pouco de antropologia alimentar... Pode não ser para determinado grupo social, como você mesmo afirma.
A questão da substituição se da puramente por questão cultural, a alimentação ocidental centraliza o prato na proteína e para os iniciantes da alimentação vegetariana ou vegan´s essa substituição é sim importante, uma vez que é dificil desatar costumes...
Outra questão é sobre o suporte de ferro, não de proteínas que são facilmente supridas por oleaginosas, mas o ferro-heme, proveniente da hemoglobina, que é o ferro que nosso organismo absorve com mais facilidade.
O ferro proveniente de vegetais verdes escuros e oleaginosas são absorvidas na proporção 18/100 na comparação com o ferro da dieta animal.
è importante lembrar que a absorção de ferro é o grande problema da dieta vegan, mas pode ser contornada por suplementos. Sem suplementos o aporte de ferro fica muito difícil, não impossível , mas muito difícil por uma pessoa iniciante nessa dieta.
Lembro que quando estagiava no ambulatório de praticas alimentares na universidade, a maioria dos pacientes com anemia ferroprívia era vegans.
Estou iniciando na questão de defesa dos animais e pretendo deixar de comer carnes, mas gosto de cozinhar e não vai ser muito difícil, mas a questão cultural ocidental é, sem dúvida, uma barreira das mais complicadas de se transpor...
Abraço e parabéns pelo blog.

Prof. Leandro

Anônimo disse...

Qual é seu embasamento científico ao afirmar que os nutrientes da carne sao dispensáveis ou substituíveis?

Anônimo disse...

Anônimo de 5 de outubro de 2012: qual é o seu embasamento científico ao afirmar que carne é indispensável ou insubstituível? O senso comum? aham, me poupe. Tem milênios de vegetarianismo sambando na sua cara.

Anônimo disse...

Como já foi comprovado que as plantas tem vidas, sentem dor, possuem memórias e sensações "neurológicas" isso acaba com a tese dos Vegetarianos/Veganos de que animais não são comidas.
Afinal com isso a planta não é comida também.
Ou seja, tente se alimentar de frutas (E complementos vitamínicos e de proteínas são usados animais para isso).
As pessoas deviam aprender a se alimentar de luz solar, aí sim é o politicamente correto.

Por isso ao meu ver cada um como o que quer, e cada um cuide da sua própria vida. :)

Mais campanhas ou recomendações: